A Formação do professor como eixo inovador de inclusão no ensino fundamental dos alunos com deficiência em Limoeiro/Pernambuco

Lindalva José de Freitas

Resumen


O presente estudo tem como proposta a discussão sobre a formação do professor que atua nos anos iniciais do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Limoeiro/PE. Esta pesquisa busca responder a seguinte questão: Os professores estão preparados para trabalhar com a educação inclusiva, especificamente com alunos com deficiência? O estudo tem como objetivo identificar a formação do professor como eixo de inclusão no desenvolvimento da aprendizagem dos alunos com deficiência. Trata-se de um estudo qualitativo e de cunho exploratório de acordo com Denzín e Lincoln, 2011 apud Campoy 2016, p.231. A pesquisa de campo foi realizada através de um questionário com seis questões. A análise da pesquisa ocorreu por meio da Análise de Conteúdo (Bardin 2011, apud Câmara 2013). Dessa forma, acredita-se na formação como sendo um processo para privilegiar a reflexão e o estudo sobre o fazer docente em suas múltiplas dimensões e desdobramentos no cotidiano escolar. Tendo como resultado da pesquisa a sugestão de uma proposta pedagógica de formação que atenda as necessidades dos professores que atuam nas salas de aula com alunos com deficiência.


Palabras clave


formação de professores; educação especial; educação inclusiva; alunos com deficiência

Citas


Alvarenga, M., Maurício, L., Ribetto, A. (2014) Vozes da educação: formação docente-experiências, políticas e memórias polifônicas. Rio de Janeiro: Eduerj

Baptista, C.R. (2013). A ação Pedagógica e Educação Especial: para além do AEE. In Meyreles, D.; Caiado, K., Baptista, C. Professores e Educaçâo Especial. São Paulo: Mediaçâo

Camurra, L.; Batistela, C. (2017) A entrevista como técnica de Pesquisa qualitativa. Disponível em: . Acesso em:02/03/2017.

Campoy, T. (2016) Metodología de la investigación científica. Ciudad del Este. Universidad Nacional del Este

Constituição da República Federativa do Brasil. Senado Federal, Emenda Constitucional nº 91 de 2016.

Declaração Comentada de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: 2017

Hoffman, R. (2013) Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Revista Interinstitucional de Psicologia, 6 (2), jul - dez, 2013.

Hubner, R. (2012) O pleonasmo da Educação Inclusiva. Revista TAM nas Nuvens, v. 2, n. 21, p. 44, set. 2009.

Lei 9394/96. Ministerio da Educaçâo. Brasil. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.

Miranda, T. G.; Galvão, T. A. (2012) O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 491, 2012.

Morán, T., Torres, J.A. (2017) Percepciones del alumnado con discapacidad sobre su historia escolar. Revista de Educación Inclusiva - Vol. 10, Nº. 1, 2017

Rangel, M., Alves, M. M. (2013) Currículo, Políticas e Ação Docente. Rio de Janeiro: Eduerj

Torres, J. A., Fernández, J. (2015) Promoviendo escuelas inclusivas análisis de las percepciones y necesidades del profesorado desde una perspectiva organizativa, curricular y de desarrollo professional. Revista electrónica interuniversitaria de formación del profesorado, Vol. 18, Nº. 1. 2015.

Torres, J. A. (2012) Estructuras organizativas para una escuela inclusiva: promoviendo comunidades de aprendizaje. Educatio Siglo XXI, Vol. 30 nº 1 · 2012.

Torres, J.A., Castillo, S. (2016). Incidencia de las políticas de apoyo educativo en las estructuras organizativas de los centros desde la perspectiva del professorado. Un estudio en la provincia de Jaén. Revista de la Facultad de Educación-Vol. 19, Nº 2. 2016.


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Dirección de Investigación. Universidad Autónoma de Asunción.
6to. Piso. Sede Central Jejui e/ O´Leary y 15 de Agosto. Asunción-Paraguay.
Tél: 595 21 495873. E-mail: informacion.cientifica@uaa.edu.py