Escola como espaço de transformação: a articulação da educação, pobreza e desigualdade social no currículo escolar

Zélia Melo Zélia

Resumen


Este artigo é uma pesquisa qualitativa com análise documental que investiga o contexto real de uma Escola da Rede Estadual de Ensino do Estado de Pernambuco/Brasil tem como objetivo identificar no Projeto Político Pedagógico (PPP) se contempla metas e ações que garantam a efetivação dos direitos humanos dos alunos, com o propósito de problematizar a repercussão da desigualdade social no currículo escolar, colocando em discussão as práticas pedagógicas. Em caso de atitudes de desrespeito aos direitos humanos na comunidade discente, reavaliar o PPP, buscando uma mudança de postura dos docentes através da formação continuada.  O problema desse enfoque é que, se os pobres são vistos como carentes e inferiores em capacidades de atenção, esforço, aprendizagem e valores, acabam sendo responsabilizados por sua própria condição. Assim, são constantemente inferiorizados, reprovados e segregados, consequências da falta de atenção dada pela cultura política, pedagógica e docente às carências materiais, à fome e aos corpos tomados pela pobreza. A metodologia utilizada é de uma pesquisa qualitativa focada na análise documental que permite contextualizar a ideia de educação como direito.  Os resultados alcançados se revertem em propiciar uma reflexão acerca da pobreza no currículo desta Escola, possibilitando a inserção de práticas voltadas a inclusão dos mais pobres no currículo da Unidade Escolar.


Palabras clave


educação, pobreza, currículo escolar.

Citas


Candau, V. M. (2008) Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação 13 (37), 45-56

Conferência Mundial sobre Direitos Humanos. Declaração e Programa de Ação de Viena. Viena, 4-25 de Junho de 1993. Disponível em: https://www.oas.org/dil/port/1993%20DeclaracaoPrograma0Mundial%20de%20Viena%20sobre%20Direitos%20Humanosde%201993.pdf. Acesso em: 28 agosto de 2017.

Deus, A. M., Cunha, D. D., e Maciel, E. M. (2011). Estudo de caso na pesquisa qualitativa em educação: uma metodologia. VI Encontro 2010. Disponível em: http://leg.ufpi.br/subsiteFiles/ppged/arquivos/files/VI.encontro.2010/GT.1/GT_01_14.pdf. Acesso em: 20 jul. 2017

Ferreiro, Ivanete Salete. (2002) As políticas brasileiras de seguridade social. IN: CFESS//CFESS/ABEPSS/CEAD/UnB. Capacitação em Serviço Social e Política Social. Módulo 02: Reprodução Social, Trabalho e Serviço Social. Brasília.

Freitas, L. (2009) A instituição do fracasso: a educação da ralé. In: Souza, Jessé. (Org.). A ralebrasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: EDUFMG.

Gimeno, J. (2005) O aluno como invenção. Porto Alegre: Artmed..

Marshall, T.H. (1967) Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar. Disposto em http://edisciplinas.usp.br/.php/1/MARSHALL.Cidadania-Classe-Social.pdf. Acesso em 30 ago. 2017.

Moreira, A. (2001) A recente produção científica sobre currículo e no Brasil e multiculturalismo (1995-2008): avanços, desafios e tensões. Revista Brasileira de Educação (18), 65-81 Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2016.

Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2007

Sacristán, J. (2013) O currículo: os conteúdos do ensino ou uma análise prática. Compreender e sim transformar o ensino. 4. ed.. Porto Alegre: ArtMed.

Simmel, G. (1987) A metrópole e a vida mental. Em VELHO, Otávio G. (org). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Guanabara

Silva, F. (2008) Ética e Responsabilidade Social. São Paulo: Campinas

Veiga, I. P. A. (2002). Projeto Político-Pedagógico da Escola: uma Construção Coletiva. 14ᵃ ed. São Paulo: Papirus Editora

Wilkinson, R. & Pickett, K. (2010). The spirit level: why equality is better for everyone (pp p. 29-105). London: Penguin


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Dirección de Investigación. Universidad Autónoma de Asunción.
6to. Piso. Sede Central Jejui e/ O´Leary y 15 de Agosto. Asunción-Paraguay.
Tél: 595 21 495873. E-mail: informacion.cientifica@uaa.edu.py