O lúdico como ferramenta facilitador no processo ensino aprendizagem

Risolene Maria da Silva, Olga González de Cardozo

Resumen


Este estudo analisa a contribuição da ludicidade para diminuir o baixo rendimento dos educandos do ensino fundamental I do 1º ao 3º ano na escola Presidente Emílio Garrastazu Médici no Município de Itaíba, Estado de Pernambuco, Brasil. Os objetivos da investigação foram: Geral: Analisar de que maneira o lúdico é utilizado como ferramenta metodológica para diminuir o baixo rendimento dos educandos do 1º ao 3º ano da escola Municipal Presidente Emílio Garrastazu Médici no município de Itaíba Pernambuco Brasil. Específicos: identificar as ferramentas lúdicas que utiliza os educadores diariamente em sala de aula. Verificar as possibilidades e os limites das crianças a partir de trabalhos lúdicos que mobilizam a prática desenvolvida pelos professores ;  Observar de que maneira os professores do 1º ao 3º ano do fundamental I compreendem a importância do lúdico no processo de ensino e aprendizagem dos educandos.Com base na importância da  temática estabelecida, essa pesquisa possui enfoque qualitativo pautado pelos instrumentos de coletas de dados, a observação e a entrevista, necessários para as análises. A investigação foi realizada em uma escola da rede municipal de Educação em Itaíba Pernambuco Brasil que atende alunos do ensino fundamental I.


Palabras clave


Ludicidade; desenvolvimento; aprendizagem; prática docente

Citas


Baby, S. M.; Castagini, F. S. (2015). O Lúdico na Educação Infantil. Disponível:< http//www.Importancia%20do%20ludico%20na%20educa%C3%A7%C3%A3o%20%20infantil/LUDICO%20TCC.pdf >. Acesso em: 10 ago. 2017

Campoy, T. (2016) Metodología de la investigación científica. Ciudad del Este. Paraguay: Universidad Nacional del Este.

Costa, S. (2005, 28 de junho). A formação do professor e suas implicações éticas e estéticas. Psicopedagogia on line. Educação e saúde mental. Recuperado de http://www.psicopedagogia.com.br/artigo/artigo.asp?entrID=692

Dias, M. de F. (2009). Aprender brincando: A História do Lúdico como instrumento facilitador no ensino aprendizagem. Disponível em 2009: . Acesso em: 02 maio 2017.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Kishimoto, T. M. (2002). O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira Thonson Learning.

Kishimoto, T. M. (2011). Jogo e letramento: crianças de 6 anos no ensino fundamental. Educ. Pesqui. v. 37 (1).

Lakatos, E. M., e Marconi, M. D. A. (2003). Fundamentos da metodologia científica. In Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Poletto, R. C. (2005). A ludicidade da criança e sua relação com o contexto familiar. Psicologia em Estudo. Maringá, v. 10 (1), 67-75

Sarmento, A. (2005). Princípios fundamentais da educação em Rousseau. Anais do II Colóquio Rousseau. Universidade Federal de Campina Grande.

Silva, A. G. (2011). Concepção de lúdico dos professores de Educação Física infantil. Londrina: Universidade estadual de londrina..

Tezani, T. C. R. (2012). O jogo e os processos de aprendizagem e desenvolvimento: aspectos cognitivos e afetivos. Educação em Revista Marília v.7 (1), 1-16

Triviños, A. N. S. (2006). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Vygotsky, L. S. (1984). A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (1998). Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2011). A Formação Social de Mente 7ª ed. São Paulo: Martins Fontes.


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Dirección de Investigación y Proyectos
Universidad Autónoma de Asunción

Jejui 667 entre O´Leary y 15 de Agosto