Afetividade na interação em sala de aula: resignificando a prática docente nas turmas de 6º ao 9º ano na Escola Estadual Marechal Eurico Gaspar Dutra - Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco- Brasil

Vanessa de Almeida Freire, Luis Ortiz Jiménez

Resumen


Esse estudo tem por objetivo principal analisar as interações mediadas pela afetividade na prática docente que encaminham uma aprendizagem significativa nas turmas de 6º ao 9º da Escola Estadual Marechal Eurico Gaspar Dutra na cidade de Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco - Brasil. Tivemos como apoio teórico estudiosos que fazem referência ao tema dessa pesquisa. O problema fundamentou-se em averiguar se a afetividade em sala de aula é capaz de fortalecer as relações entre professores e alunos e contribuir com a aprendizagem significativa. Para responder aos objetivos e ao problema investigativo, elencamos o enfoque qualitativo tipo descritivo como meio de análise para chegar aos resultados. Os participantes desse estudo foram os professores que lecionam nas turmas de 6º ao 9º ano. Ademais, os resultados propostos pela análise qualitativa descritiva possibilitaram estabelecer relações entre as práticas afetivas docentes e a aprendizagem significativa dos educandos e apontar resultados relevantes acerca da ressignificação das práticas pedagógicas.


Palabras clave


Afetividade; Docente; Aprendizagem; Prática docente

Citas


Almeida, L. R., e Mahoney, A. A. (2007). Afetividade e aprendizagem-Contribuições de Henri Wallon. Edições Loyola.

Campoy, T. (2016) Metodología de la investigación científica. Ciudad del Este. Universidad Nacional del Este.

Capelatto, I. R. (2012). Educação com afetividade. Campinas. Educar.

Freire, P. (1980). Conscientização: teoria e prática da libertação; uma introdução ao trabalho de Paulo Freire. São Paulo. Moraes.

Freire, P. (2005). Pedagogia do oprimido (1970). Rio de Janeiro. Paz e Terra.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Atlas.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo. Atlas.

Kullok, M. G. B. (2002). Relação professor-aluno: contribuições à prática pedagógica. Maceió. EDUFAL.

Lakatos, E. M., e Marconi, M. D. A. (2003). Fundamentos da metodologia científica. In Fundamentos da metodologia científica em educação. São Paulo. Atlas.

Libâneo, J. C. (1994). Didática. São Paulo. Editora Cortês.

Martins, V. (2005). A prática de valores na escola. Psicopedagogia On line. Publicado em 11/04/2005 www.psicopedagogia.com.br

Minayo, S. M. C. (2011). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis. Editora Vozes Limitada.

Morales, P. (2006). Relação professor-aluno. São Paulo. Edicoes Loyola. 6ª edição.

Muller, L. S. (2002). A interação professor – aluno no processo educativo. Disponível em: https://www.usjt.br/proex/arquivos/produtos_academicos/276_31.pdf

Tardif, M. (2014). Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis. Vozes.

Werneck, H. (2002). Se você finge que ensina, eu finjo que aprendo. Petrópolis. Vozes.


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Dirección de Investigación y Proyectos
Universidad Autónoma de Asunción

Jejui 667 entre O´Leary y 15 de Agosto