Um estudo sobre o ensino de história e as questões étnico-raciais no Colégio de Aplicação-CAP em Boa Vista/RR

Maria do Perpetuo Socorro de Matos Campos Furman, Viviana Elizabeth Jiménez Chaves

Resumen


Este artigo teve como objetivo se o Ensino de História no Colégio de Aplicação-CAp, em Boa Vista/RR, contempla as questões étnico-raciais como forma de combate ao preconceito. Para tanto, utilizou-se da pesquisa de campo, descritiva e da revisão de literatura, com abordagem qualitativa, tendo como universo, população e amostra, os professores de História do Colégio de Aplicação-CAp, em Boa Vista/RR, mediante a realização de uma entrevista, observação e registro fotográfico, e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). A análise proposta permitiu contextualizar o ensino de História mediante a Lei nº 10.639/03 (11.645/08) que aborda as questões étnico-raciais; descrever as questões étnico-raciais como forma de combate ao preconceito; identificar a metodologia e suas práticas nos programas e projetos utilizados pelos professores de História, no processo de ensino aprendizagem, referente aos conteúdos de História e Cultura Africana e Afro-brasileira; e, descrever como os professores percebem a inclusão curricular dos conteúdos de História e Cultura Africana e Afro-brasileira nas práticas do processo de ensino aprendizagem. Os resultados ao final da pesquisa possibilitaram constatar, com relação às questões étnico-raciais no combate ao preconceito na escola, que os participantes do estudo possuem um conhecimento superficial, mas que lhes possibilita um suporte teórico para trabalhar esse tema, apesar do currículo adotado não contemplar, ainda efetivamente, as referidas Leis. Mesmo assim, tentam fazer sua inclusão, na medida em que buscam incorporar este assunto no plano anual da disciplina, como forma de provocar uma reflexão, junto aos alunos, sobre essa temática. Em se tratando da inclusão metodológica do conteúdo de História e Cultura Africana e Afro-brasileira no processo de ensino aprendizagem verificou-se que o conteúdo é explorado de forma esporádica, de modo que seu desenvolvimento de maneira sistemática acontece apenas no mês de novembro quando se comemora no calendário o Dia da Consciência Negra, onde acontecem diversas atividades didáticas, pedagógicas e culturais. Além disso, não dispõem de recursos materiais, didáticos e pedagógicos apropriados para a implementação destes conteúdos, contando apenas com o livro didático. No que se refere à percepção quanto à abordagem do conteúdo de História e Cultura Africana e Afro-brasileira, concluiu-se que não há aprofundamento de estudos por parte da Coordenação Pedagógica visando o incentivo à elaboração de projetos e programas voltados para o trabalho deste conteúdo, a não ser, na época do desenvolvimento do Projeto Consciência Negra, demonstrando que as ações desenvolvidas ainda são muito frágeis e pouco tem contribuído neste sentido.


Palabras clave


Preconceito étnico-racial; Ensino de História; História e Cultura Africana e Afro-Brasileira

Citas


Albuquerque, W e Fraga, W (2006). Uma história do negro no Brasil. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais; Brasília: Fundação Cultural Palmares.

Brasil (2003). Lei 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Acesso Junho 23, 2015, em www.planalto.gov.br.

Brasil (2008). Lei 11.645 de 10 de março de 2008. Acesso Junho 23, 2015 em www.planalto.gov.br.

Casaroto, K. e Santos, A.. (2006). Algumas reflexões sobre o ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana.Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), Paraná.

Ciconello, A. (2008). O desafio de eliminar o racismo no Brasil: a nova institucionalidade no combate à desigualdade racial. Oxfam International From Poverty to Power: How Active Citizens and Effective States Can Change the World, Oxfam International, junho. Disponível em: . Acesso em: 14 Jan. 2016.

Furasté, P. (2007). Normas Técnicas para o Trabalho Científico: Elaboração e Formatação. Explicitação das Normas da ABNT. 14. ed. Porto Alegre: s.n.

Gil, A. (2010). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social.6. ed. 3. reimpr. São Paulo: Atlas.

Lima, M. (Org.) (2012a). Escola plural:a diversidade está na sala: formação de professores/as em história e cultura afro-brasileira e africana. 3. ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNICEF.

Lody, R. (2006). A herança africana está por toda parte – Beleza e Identidade: sobre os patrimônios afro-descendentes. Saberes e fazeres. v. 1: modos de ver/Coordenação do Projeto Ana Paula Brandão – Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho. (A cor da cultura).

Scheimer, M. (2010). Ensino de História e a prática educativa: projetos interdisciplinares. In.: V CINFE – Congresso Internacional de Filosofia e Educação, maio, Caxias do Sul, RS.

Silva, B. e Lima, M. (2012). A importância dos contos infantis na constituição da identidade do negro. En.: Rodrigues Filho, G. [et al]. Educação para as relações étnico-raciais: outras perspectivas para o Brasil. Uberlândia, MG: Editora Gráfica Lops.

Trindade, A. (2008). Dialogando com desafios. En.: Nunes, A. E. da S. & Oliveira, E. V. de. (Orgs.). (2008). Implementação das Diretrizes Curriculares para a educação das relações étnico-raciais e o ensino de História e Cultura Afro-brasileira e africana na educação profissional e tecnológica. Brasília: MEC, SETEC.

Zebral, D. (2012). Rompendo barreiras do preconceito racial no ambiente escolar. Universidade Federal de Ouro Preto: Conselheiro Lafaiete.


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Dirección de Investigación y Proyectos
Universidad Autónoma de Asunción

Jejui 667 entre O´Leary y 15 de Agosto